Literatura filosofia humor poesia



sábado, 22 de julho de 2017

A arte mais fácil



A arte de perder não é difícil de aprender:

Tantas são as coisas feitas para serem perdidas

Que perdê-las não é nenhum desatre.



Perca algo hoje. Perca algo todo o dia.

Aceite o não saber das chaves e o gasto dos escassos minutos:

A arte de perder não é difícil de aprender.



Então pratique perder mais, perder mais rápido:

Lugares, e nomes e onde é que querias ir.

Nada disso lhe será desastre.



Eu perdi o relógio de minha mãe.

E olhe! Minha última, ou quase-última

Amada casa foi-se. Não é difícil!



Perdi duas amáveis cidades.

E mundos, reinos inteiros!

Senti sua falta, mas quedo intacto.



Até mesmo perder você, o que mais amo...

Não devo mentir!

Muito embora tudo o que se perca

Uma catástrofe nos pareça -

É muito evidente,

Nada é mais fácil do que a arte de perder!







---------------------------------------

Original Poem by: Bishop, Elizabeth. The Complete Poems: 1927–1979 (Farrar, Straus, and Giroux, 1983)

Tradução por: Franco, Guilherme Henz.

Nenhum comentário:

Receba atualizações por e-mail (vá, não são mais de 2 posts por mês)