Literatura filosofia humor poesia



segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Laços de Família

"A melhor definição do amor não vale um beijo de moça namorada; e, se bem me lembro, um filósofo antigo demonstrou o movimento andando" Uma das habituais machadadas, em seu 'Espelho: fundamental é a segunda alma, construída a partir dos reconhecimentos. Reconhecer é onirrevelar o valor. É, portanto, fazer dele uma experimentação.

*

Wes Anderson's Darjeeling Limited and Phil Morrison's Junebug.

Mas não é preciso ir tão longe. Toda a pessoalidade é feita por nós.
Então basta amar o desconhecido? Talvez seja mais pungente amar o ignorado.

Não é engraçado que um e outro briguem e discutam para julgar de que outro foi a irritação que começou a me irritar? E que se batalhe pela última negação, mesmo que ela seja 'sim, senhora' (não estamos no ponto de confundir afirmações com sins, não é mesmo? A ironia é clara, no tom de voz frustrado de quem diz reconhecer no outro uma senhoria - a mesma voz que proclama, ressentido: estou amando! querendo mostrar, com isso, que está à mando, e que não está sendo amado, que não passa de um... ignorado).

Não é lindo quando estes silêncios dizem tudo? Nós, os últimos dos ressentidos, sentamos lado a lado, negociando dores invisíveis, caladas e pouco disfarçadas, porque o Natal não nos trouxe outras máscaras, que não as velhas conhecidas, as familiares. Como ser um estupendo ator para um público íntimo? Adivinham todos os teus trejeitos, metade por serem os deles também.

Muitos de nós fazem o extremo esforço de esquecer alguma coisa. Só podemos realmente esquecer de alguma coisa se ela esteve em nossa memória (por isso pouco se diz que esquecemos do que imediatamente vemos ou ouvimos, quando é o caso, ignoramos; ou que esqueçamos aquilo a que nossa atenção se presta, quando é o caso, dizemos distrair; o que se perde não é a percepção sensória nem a capacidade atencional, que são por si próprias fugazes e mutáveis em relação a seus objetos, mas a percepção mnêmica, a percepção de uma impressão que deveria estar gravada em algum lugar, só não sabemos
qual - os esquecimentos são feitos através de rupturas ou enfraquecimentos dos vínculos neuronais), isto é, conceitualmente, só esquecemos de algo
que nos foi familiar. De algo passado e importante o suficiente, algo que se soube.

Inocentes, talvez ainda haja. Aqueles que não se sentem amados e não desejam o ser.

Humilhar com ternura é o jogo dos senhores. Dos que almejam possuir, ganhar. É um tipo de processo educacional. Fazem do orgulho, aquele animal selvagem, um incompetente caçador. Mendiga, então, as migalhas dos olhares, das palavras, come sofregamente na mão, e a lambe. Mas os que renunciaram ao orgulho ou os que nunca o conheceram não são domesticados. Lambem a mão por selvageria ou amor puro.
Lancinante.



-----
* The Cranberries - Ode to my family

2 comentários:

Angelita Machado disse...

Licença para entrar em órbita!
O laço pode ser de seda, ou algodão desde que tenha a intenção correta!
Até Guik

Angie

Bigatrice disse...

caramba, que intensidade cortante!

me apaixono por palavras com idéias dentro.
me apaixono pela carne!

massa, massa... de onde / por onde nos encontramos? sei lá se importa, só ficou uma curiosidade.

beijo!

Receba atualizações por e-mail (vá, não são mais de 2 posts por mês)